Este artigo resulta de uma série de 7 entrevistas feitas aos 35 participantes do projeto Aroma: design the smell of challenge – organizado pelo Aventura Marão Clube em Amarante (Portugal), entre 2 e 10 de julho. Durante 10 dias os participantes da Grécia, Roménia, Itália, Palestina, Tunísia, Egipto e Portugal, trabalharam juntos para organizar uma Bike Parade, um Jantar Euromed e para apoiar um festival de rua local chamado Festa Amarantina. Durante as entrevistas tivemos a oportunidade de os conhecer melhor a todos, descobrir o porquê de terem escolhido fazer parte deste projeto e como foi a experiência.

Da Palestina tivemos o prazer de receber a Yara, a Yaffa, o Loai, a Manar e o Abdallah, todos muito calorosos e amigáveis. Disseram que estavam muito ansiosos por fazer parte deste projeto internacional, pois queriam conhecer e interagir com outras culturas e também por poder ensinar aos outros algo da sua.

Grupo da Palestina vindo da associação Hayat Center

A equipa estava muito entusiasmada com a Festa Amarantina. Consigo trouxeram as roupas tradicionais, a comida e os doces. Os palestinianos partilharam, com todo o prazer, a sua cultura com qualquer pessoa que mostrou interesse em aprender. Eles consideram-se pessoas felizes e positivas, que amam a vida, apesar de todos os problemas que se estão a passar no seu país.

Nós falamos sobre o maior equívoco sobre a Palestina e a equipa disse que, por estarem sob a ocupação de Israel, as pessoas tendem a acreditar que fazem parte dele. No entanto a Palestina e Israel são dois países diferentes. Outra coisa que as pessoas podem não saber é que no seu país existem paredes de separação e muitos pontos de verificação entre cidades, vilas, etc. Devido a isso as pessoas têm pouca liberdade e não têm a oportunidade de apreciar todas as lindas paisagens da Palestina. Infelizmente são como prisioneiros no próprio país.

Quando lhes perguntamos quais as maiores diferenças entre Portugal e a Palestina, a equipa apontou a cultura, a linguagem, a comida e a meteorologia. Contudo, apesar das grandes diferenças, eles adoraram aquilo que descobriram em Portugal.

A primeira coisa que os palestinianos iriam partilhar com os seus amigos e família sobre a sua experiência aqui seria – a beleza da natureza, as ruas calmas, os locais históricos e as pessoas calmas e criativas que conheceram durante o projeto.

Algo surpreendente sobre a sua cultura é que têm uma vida social muito forte, os amigos e a família estão constantemente a visitar-se uns aos outros. Outra coisa interessante que os palestinianos gostariam que as pessoas soubessem sobre o seu país é que têm lugares sagrados com uma beleza única – tal como o “Dome of the Rock”, a “Al-Aqsa Mosque”, a “Western Wall os the Temple Mount” (sagrada para os judeus), e a “Church of the Holy Sepulchre” (sagrada para os cristãos).

Falamos também sobre as maiores dificuldades que os jovens enfrentam no seu país, que é obter um visa. Devido a este problema eles não têm muitas oportunidades de viajar e quando o fazem têm de utilizar um aeroporto em Jordan, pois no país deles não existe nenhum. Na Palestina eles não têm um consolado e o visa demora cerca de um mês para ser processado.

O grupo da Palestina demorou 24 horas a viajar para Portugal, mas valeu a pena! Sentiram-se muito a agradecidos por terem feito parte do projeto Aroma.

Artigo e entrevista de Denisa Gavriloni
(Participante do Projeto Aroma)

Pin It on Pinterest

Share This