Este artigo resulta de uma série de 7 entrevistas feitas aos 35 participantes do projeto Aroma: design the smell of challenge – organizado pelo Aventura Marão Clube em Amarante (Portugal), entre 2 e 10 de julho. Durante 10 dias os participantes da Grécia, Roménia, Itália, Palestina, Tunísia, Egipto e Portugal, trabalharam juntos para organizar uma Bike Parade, um Jantar Euromed e para apoiar um festival de rua local chamado Festa Amarantina. Durante as entrevistas tivemos a oportunidade de os conhecer melhor a todos, descobrir o porquê de terem escolhido fazer parte deste projeto e como foi a experiência.

O primeiro grupo a ser entrevistado representa a Grécia. Tivemos o prazer de conhecer a Daphne, a Alexandra, a Valia, o Spyros e o Alkis. Primeiro quisemos saber qual foi a sua motivação para fazer parte deste projeto. A Daphne disse que nunca tinha participado num programa de intercâmbio de jovens e que sempre teve interesse em descobrir novas culturas; Que Portugal é um país rico em multiculturalidade. Outro ponto de vista foi o desejo de poder expressar a sua criatividade e também os princípios que o projeto defendia – como por exemplo, proteger o ambiente.

Grupo da Grécia enviado pela organização You in Europe

Uma coisa que os participantes queriam esclarecer sobre o seu país era o facto de serem considerados pessoas preguiçosas e que não querem trabalhar. A realidade é que lá existe um grande problema de desemprego. Eles também quiseram clarificar que nem todas as raparigas na Grécia têm grandes bigodes como é geralmente dito.

O que o grupo grego sentiu que o que tinha para oferecer à Festa Amarantina é o seu Kefi  que é uma palavra que significa espalhar alegria e energia positiva enquanto interagem uns com os outros.

Quando lhes foi perguntado quais são as maiores diferenças entre o seu país e Portugal, eles responderam que não existem muitas e que ambos são descontraídos, muito comunicativos e que encaram a vida de forma positiva.  A coisa mais interessante que diriam aos seus amigos e familiares sobre Portugal é que nadaram no rio, algo que não lhes é familiar devido a terem tantas praias na Grécia; e que o facto mais surpreendente que iriam partilhar sobre a sua experiência em Amarante seriam os doces e tradições de São Gonçalo. Por outro lado, algo que seria surpreendente sobre a cultura grega seria o facto de nunca apontarem com a mão aberta pois é considerado como um insulto.

Enquanto falávamos sobre o maior desfio que os jovens estão a passar na Grécia, eles enfatizaram que o grande problema é o desemprego, especialmente a falta de oportunidade em encontrar emprego na área que estudaram. Isto normalmente é muito frustrante e pode fazê-los sentir que os seus estudos foram inúteis. Um aspeto positivo é que o voluntariado está a tornar-se um movimento muito popular. As pessoas estão a tomar iniciativa com todos os tipos de organizações – os jovens têm uma participação cada vez mais ativas e tentam trazer algo positivo para a sociedade enquanto se desenvolvem a eles próprios. Todos eles concordam que esta experiência de voluntariado vai ser uma mais valia no futuro quando forem à procura de emprego.

Artigo e entrevista de Denisa Gavriloni
(Participante do Projeto Aroma)

 

Pin It on Pinterest

Share This